A conexão da agência E4 Brasil – Portugal visa ampliar as fronteiras e as áreas de atuação da nutrição e do marketing nutricional

Escritório E4 Lisboa

Como parte da sua expansão internacional, a E4, que já completou 12 anos, resolveu mergulhar no mercado europeu. A inauguração do escritório e o início das atividades foi no dia 4 de junho, em uma sala localizada na Avenida da Liberdade, no coração de Lisboa – Portugal.
Essa novidade marca uma nova fase da agência, que visa ampliar as fronteiras e desenvolver planos futuros como levar a E4 eventos também ao território europeu.
“O mercado em Portugal permite desenvolver muita coisa na parte de nutrição”, comenta Gustavo Negrini, diretor da E4.

Deborah Rocha e Gustavo Negrini na E4 Lisboa

De acordo com Deborah Rocha, nutricionista brasileira que vive em Portugal e é atendimento na E4 Lisboa, o país está em processo de mudanças comportamentais na alimentação. Ela conta que, antigamente, os portugueses consumiam alimentos mais saudáveis e integrais por causa do estilo de vida rural. Mas, com o tempo, os itens não-saudáveis prevaleceram e hoje, existe um retorno progressivo aos hábitos alimentares mais equilibrados. “Acredito que pelo menos metade da população já tenha acesso a esses alimentos; em mercados populares, por exemplo, já é possível encontrar corredores do tipo wellness”, explica.

Prédio onde fica a sala da E4 Lisboa, na Avenida Liberdade

Essa tendência também pode ser vista no relatório divulgado pela Centromarca- Associação Portuguesa de Empresas de Produtos de Marca . Segundo a pesquisa, percebeu-se que, em cinco anos, foram formadas duas gerações com perfis diferentes quando o assunto é a procura por mais bem-estar. Os lares “mais maduros” apresentam uma visão do “antigo saudável” relacionado principalmente ao integral, soja, baixo teor de sal. Já os lares modernos (Millennials) hoje buscam, como “novo saudável”, opções como sem glúten, sem lactose, antioxidantes.

Outro estudo, do Inquérto Alimentar Nacional e de atividade física (IANIAF), desenvolvido com o apoio da Universidade do Porto, conta que a porcentagem total de pessoas que relatam o uso de suplementos vitamínicos dentro da população portuguesa é de 20,8%.


Loja de produtos saudáveis em Lisboa

Este novo passo é uma porta de entrada para a Europa, que valoriza o segmento de orgânicos e suplementos do Brasil. “Será um grande desafio, mas que já temos grandes expectativas”, conclui, Negrini.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 − 4 =